Intro image

Todas as Aventuras da BLITZ – 1990

01 – Você Não Soube Me Amar

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita / Ricardo Barreto / Guto / Zeca Mendigo )

Sabe essas noites
Que você sai caminhando sozinho
De madrugada, com a mão no bolso na rua
E você fica pensando naquela menina
Você fica torcendo e querendo
Que ela estivesse na sua
Aí finalmente você encontra o broto
Que felicidade, que felicidade,
Que felicidade, que felicidade,
Você convida ela pra sentar
-Muito obrigada!
-Garçom, uma cerveja?
-Só tem chope.
-Desce dois, desce mais.
-Amor, pede uma porção de batata-frita?
-Ok, você venceu. Batata-frita.
Aí, blablablá, blablablá, blablablá,
Tititi, tititi, tititi.
Você diz pra ela:
-Tá tudo muito bom.
-Bom
-Tá tudo muito bem.
-Bem
-Mas realmente, mas realmente,
Eu preferia que você estivesse nua.

Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar

Todo mundo dizia que a gente se parecia
Cheio de tal e coisa e coisa e tal
E realmente a gente era
A gente era um casal, um casal sensacional.

Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar

No começo tudo era lindo
Tudo divino, era maravilhoso
Até debaixo d’água nosso amor era mais gostoso
Mas de repente, a gente enlouqueceu
Eu dizia que era ela
Ela dizia que era eu

Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar

-Amor, que que’cê tem, ‘cê tá tão nervoso!
-Nada, nada, nada.
-Foi besteira usar essa tática
Dessa maneira assim dramática.
-Eu tava nervoso.
-O nosso amor era uma orquestra sinfônica.
-Eu sei.
-E o nosso beijo, uma bomba atômica.

Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar
Você não soube me amar

(É foi isso que eu disse pra ela)
(É foi isso que ela me disse)
Oh, baby, não!

02 – Weekend

Letra / Cifra 

( Ricardo Barreto / Evandro Mesquita )

Alô, alô ativo ouvinte
Você aí que está ligado na minha
Na sua, na nossa Rádio Atividade
E pra você que vai viajar, o tempo é bom,
Sujeito a amores impossíveis no final do período

Dia após dia, durante semanas
Fiquei esperando pra te ver
Há mais de um mês que eu espero uma chance
De me encontrar com você
Seu cabelo eletrizado
Sua boca de mel
Não sei se veio da Terra
Ou se desceu do céu

Quero passar um Weekend com você
Eu também
Um Weekend com você, eu só quero passar
Um Weekend com você
Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
Um Weekend com você
Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz

Primeiro passou um cavalo
Depois eu vi dois bois
Um ônibus acendeu o farol
Eu liguei o rádio, ela abriu a blusa, ela me deu um beijo
Parei pra esticar
-Amor olha ali uma lanchonete!
Chichi, café, chiclete, chichi, café, chiclete

Quero passar um Weekend com você
Eu também
Um Weekend com você, eu só quero passar
Um Weekend com você
Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
Um Weekend com você
Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz

Patrulha Rodoviária a 500 metros
Patrulha Rodoviária a 200 metros
Eu desliguei o rádio ela abriu o vidro, escureceu
O guarda mandou parar
-Que chato!
-BLITZ DOCUMENTOS
-Ué, só temos instrumentos
-Aí rapaz que que’cê faz?
-Tá vindo da onde, tá indo pra onde?
-Eh! Que que’cê tem nessa bolsa?
-Qual é o teu signo, que time torces?
-Tudo bem, pode ir
-Viajandão hein!

Quero passar (branco esperto) um Weekend com você
Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
Quero passar um Weekend com você…

03 – Betty Frígida

Letra / Cifra 

( Patrícia Travassos / Evandro Mesquita / Antonio Pedro / Ricardo Barreto )

A Kajadan Filmes apresenta…
A estranha estória de Roni Rústico e Betty Frígida
Versão brasileira Aic – São Paulo

Meu amor não fique assim
Não foi sua a minha culpa
Por favor não mude de cor
A gente pode tentar outra vez
A noite é uma criança
Um pouco de amor não cansa, cansa, cansa, cansa
É que eu sou frígida

Frígida, Betty Frígida, rígida
Eu não consigo relaxar
Frígida, Betty Frígida, rígida
Eu sei que eu conseguir

Calma Betty, calma
Você deve fazer de leve
Calma Betty, calma
Assim você me machuca
Calma Betty, calma
O Juca já fez isso uma vez

Meu amor agora já sei
Depois de amar como eu te amei
Ah, eu pensei que sabia tudo
Mas aprendi tudo essa vez
Ah, o meu beijo te quebrava os dentes
O meu abraço nunca foi quente, quente, quente, quente
É que eu sou rústico

Rústico, Roni Rústico, só tenho músculos
Eu sempre quis te namorar
Frígida, Betty Frígida, rígida
Agora eu já consegui

Calma Betty, calma
-Hey Betty, vamos tomar um grapette?
-Sim Roni!
Calma Betty, calma
-Hey Roni, você viu o que aquele boçal escreveu no jornal?
-Oh! Eles não sabem de nós
E os urubus continuam passeando a tarde inteira entre os girassóis.

04 – A Verdadeira História de Adão e Eva

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita / Ricardo Barreto / Chacal )

Aí bicharada, é festa no paraíso
Cada macaco no seu galho
Quero ver dançar

Adão vivia em paz
Andava nu pelo paraíso
Se dava bem com os animais
E tinha tudo que era preciso

Aí ele disse:
-Me dá (dá, dá, dá) oh, Deus me dá (ai Deus me dá)
Eu já não sou mais garoto
Eu quero um broto e só você pode dar

Adão era “assim” com Deus
E tinha tudo o que queria
O mar, o fogo, o ar, a terra
Só não tinha companhia

Aí ele disse:
-Me dá (dá, dá, dá) oh, Deus me dá (ai Deus me dá)
O paraíso é pouco
Eu quero um broto pra podê conversar

-Vou comer maçã, vou comer maçã!
Então o céu se abriu
-Vem comer maçã, vem comer maçã!
E a terra estremeceu
-Vou comer maçã, vou comer maçã!
Você não se chama Eva
-Vem comer maçã, vem comer maçã!
E nem tão pouco Adão sou eu

-Me dá (dá, dá, dá) oh, Eva me dá (ai Eva me dá)
Quero amor no almoco
E maçã no jantar

O tempo foi passando e a vida era uma beleza
Adão trazia a comida e Eva botava a mesa
Só que um dia Eva sorriu para o macaco mandril
Adão montou numa zebra e se mandou pro Brasil

Aí Eva disse:
-Me dá (dá, dá, dá) Adão me dá (ai Adão me dá)
Adão segure sua cobra que
eu tô com maçã de sobra pra dar

-Me dá (dá, dá, dá) oh, Eva me dá (ai Eva me dá)
Eu quero comer de novo
Já cansei de ovo com guaraná

-Me dá (dá, dá, dá) Adão me dá (ai Adão me dá)
Adão segure sua cobra que
eu tô com maçã de sobra pra dar

-Vou comer maçã, vou comer maçã!
-Vem comer maçã, vem comer maçã!

-Vou comer maçã, vou comer maçã!
-Vem comer maçã, vem comer maçã!

05 – Dali de Salvador

Letra / Cifra 

( Antonio Pedro / Evandro Mesquita )

Visual do litoral
Surreal que lindo!
Oi, oi, oi, que bom dançar
Vem dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Que bonito ver o entardecer!
Que bonito ver o sol se pôr
De Salvador dali
De Salvador de lá, de lá
De cima do mar
De cima do mar
De cima do mar
De cima do mar

Visual do litoral
Surreal que lindo!
Oi, oi, oi, que bom dançar
Vem dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Agora anoiteceu
Eh, uma noite de lua
Agora a noite é sua
E a gente pode dançar
No meio da rua

Dance e se lance
Eh, a noite é sua
Essa é a sua chance
De ser um superstar
Um astro da rua

Uma coisa boa sobre música
É que quando a gente dança
Nunca sente dor!

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Que bonito ver o entardecer!
Que bonito ver o sol se pôr
De Salvador dali
De Salvador de lá, de lá
De cima do mar
De cima do mar
De cima do mar
De cima do mar

Visual do litoral
Surreal que lindo!
Oi, oi, oi, que bom dançar
Vem dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

Oi, oi, oi
Oi, oi que lindo
Vem, vem, vem, dançar comigo

“O mar quando quebra na praia
É bonito, é bonito
O mar quando quebra na praia
Poluído, poluído “

06 – A Dois Passos do Paraíso

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita / Ricardo Barreto )

Longe de casa
Há mais de uma semana
Milhas e milhas distante
Do meu amor

Será que ela está me esperando
Eu fico aqui sonhando
Voando alto perto do céu

Eu saio de noite andando sozinho
Eu vou entrando em qualquer barra
Eu faço meu caminho
O rádio toca uma canção
Que me faz lembrar você, eu
Eu fico louco de emoção
E já não sei o que vou fazer

Estou a dois passos do paraíso
Não sei se vou voltar
Estou a dois passos do paraíso
Talvez eu fique, eu fique por lá
Estou a dois passos do paraíso
Não sei porque que eu fui dizer bye bye
Bye bye, baby, bye bye

-A Rádio Atividade leva até vocês
Mais um programa da séria série
“Dedique uma canção a quem você ama”
Eu tenho aqui em minhas mãos uma carta
Uma carta d’uma ouvinte que nos escreve
E assina com o singelo pseudônimo de
“Mariposa Apaixonada de Guadalupe”
Ela nos conta que no dia que seria
O dia do dia mais feliz de sua vida
Arlindo Orlando, seu noivo
Um caminhoneiro conhecido da pequena e
Pacata cidade de Miracema do Norte
Fugiu, desapareceu, escafedeu-se
Oh! Arlindo Orlando volte
Onde quer que você se encontre
Volte para o seio de sua amada
Ela espera ver aquele caminhão voltando
De faróis baixos e pára-choque duro
Agora uma canção canta pra mim
Eu não quero ver você triste assim

Estou a dois passos do paraíso
E meu amor vou te buscar
Estou a dois passos do paraíso
E nunca mais vou te deixar
Estou a dois passos do paraíso
Não sei porque eu fui dizer bye bye

07 – Egotrip

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita / Antonio Pedro / Ricardo Barreto / Patrícia Travassos )

Um indivíduo alto, magro, vestindo um terno azul
Quem vem lá, quem será?
Desceu num coletivo às quatro e meia da manhã
Olha lá, quem será?
Atravessou a rua assoviando uma canção
Só uma suspeita silhueta na escuridão

Tem um cara na esquina
O que ele tem na mão?
Tem um cara na esquina
Qual será a sua intenção?

Não foi difícil entrar no edifício 1003
Da Avenida Copacabana, bloco 5, posto 6
O porteiro disse que ouviu o vento soprar
E um estranho barulho que vinha lá do nono andar

Tem um cara na escada
O que ele tem na mão?
Tem um cara na escada
Qual será a sua intenção?

-Quem é?
-Sou eu!
-Quem é?
-Sou eu, princesa, o Batata.
-Batata, a essa hora?
-Oh, desculpe princesa, mas tinha que ser agora.
-Ai, deixa pelo menos eu vestir alguma coisa.
-Hum… você tá linda… sabe o que é princesa?
Hoje encontrei a pessoa que eu procuro!
-Jura?
-E bom… se isso te satisfaz eu… juro, juro
Já disse que juro…
-Oh! Batata…
-Uma pessoa que eu quizesse comigo 25 horas por dia
Uma pessoa que me entendesse, que eu pudesse confiar…
-Oh! Batatinha eu, eu.. sinto isso também.
-E essa pessoa, princeza… (diz, diz)
Essa pessoa… (diz)
Sou eu!

Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim
Eu sou o cara mais gente fina que eu conheço
Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim

Hei, vamos ver o sol nascer ali na praça?
Você faz o café? Ou quer que eu faça?
-Ha, já não sei se eu quero que você vá ou que você fique
Nem sei se eu quero aturar a sua egotrip… porque…

Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim
Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim

Ninguém entendeu quando o dia amanheceu
Os dois pelados na praça da Bandeira
Cantando o samba da Mangueira
Quando chegaram os camburões
Saíram assoviando o hino da República dos Camarões

Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim
Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim
Viver sem mim

Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim
Eu te amo, eu me adoro
Eu não consigo te ver sem mim

09 – O Romance da Universitária Otária

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita )

Essa é a história
De uma universitária otária
Que não sabia se fazia
Oceanografia ou veterinária.
Arquitetura aquela altura era loucura
Mas em compensação comunicação era uma opção.
Ela se dava bem, ela se dava bem,
Ela se dava em redação.
Ela se dava bem, ela se dava bem,
Ela se dava em redação.

Era boa em línguas mas não sabia beijar.
Era boa em línguas mas não sabia beijar.

Aí um dia, um cara apareceu e disse:
-Eu sou o Abreu, muito prazer,
Eu me lembro de você dos tempos do IBEU.
Aí ela disse:
-Ai, Abreu, eu não sei o que eu vou ser.
Eis a questão.

Ser ou não ser. O que será que serei,
O que será que eu vou ser.
Ser ou não ser. O que será que serei,
O que será que eu vou ser.

Aí lá pelas tantas, o Abreu já tonto respondeu:
-Você está meio confusa mas fica
Mais bonita assim sem blusa.
Eu não queria falar mas agora vou dizer.

Todo mundo quer ir pro céu
Mas ninguém quer morrer.
Todo mundo quer ir pro céu
Mas ninguém quer morrer.
Todo mundo quer ir pro céu
Mas ninguém quer morrer.

E por sorte ou por azar
Eles não passaram no vestibular.
Moram juntos até hoje mas resolveram
Não casar pra não complicar.
Esse foi apenas um lance do
Romance de Aparecida e Abreu.
Hoje moram no campo e
São dois grandes amigos meus.

Vivem na natureza, na santa paz de Deus.
-Abreu, desce do coqueiro, o almoço tá esfriando!

10 – De Manhã (Aventuras Submarinas)

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita )

Olhei para o relógio e notei que restava
Meio minuto de oxigênio no tanque
Num super esforço cheguei a superficie
Olhei para os lados Nick e Diana
Tinha desaparecido com a lancha (Ho, céus!)
Nadei até um continente mais próximo
E na praia Urçula tirava fotos com Bob, com James Bob

De manhã, de manhã
O sol vem batendo no meu peito
Dizendo para onde que eu tenho que ir
Mas o mundo dá tanta volta
E eu não sei quando posso parar
De rodar, de rodar e de sonhar
Estava um dia lindo
E eu botei meu calção e fui nadar
Porque não, porque não, sem calção
Eu tinha 12 anos ainda me lembro do dia
Eu escutava o que mamãe dizia
Ela dizia:
Tome cuidado, tenha juizo
Esse mundo é um cão
Se acordo mais cedo
Boto o som o vizinho reclama
Eu vou pra cama e tento dormir
Eu noto o som dos tais
Casais que fazem, até mais tarde

Olhando o mar eu fico de bobeira
E quando o mar tá forte eu fico
Aqui na beira, eu não!
Olhando o mar eu fico aqui pensando
Se hoje eu vou nadar ou vou
Sair voando, eu vou!

No oferecimento de pipocas coloridas
E sonhos alucinantes, Aventuras Submarinas
Toda noite, na cama de cada um

11 – BLITZ Cabeluda

Letra / Cifra
( BLITZ ) 

Salve, salve, senhoras e senhores
E rapaziada em geral.
Aumenta o som!
Aumentem o som e apertem… apertem os cintos
Que nós vamos começar a subir, subir.

Espero que vocês…
Espero que vocês gostem do disco
Assistam o show
Vejam o filme
E leiam o livro

Agora sim, aí está!
Inteiro no seu vídeo,
A cores para todo o Brasil,
BLITZ !

12 – Biquíni de Bolinha Amarelinha Tão Pequenininho

Letra / Cifra 

( Pockriss / Vance – Versão: Hervê Cordovil )

Itsy Bitsy Teenie Weenie Yellow Polkdot Bikini

Ana Maria entrou na cabine
E foi vestir um biquíni legal
Mas era tão pequenino o biquíni
Que Ana Maria até sentiu-se mal

Ai, ai, ai, mais ficou sensacional!
Era um biquíni de bolinha amarelinha (chocante)
Tão pequenininho, mal cabia na Ana Maria
Biquíni de bolinha amarelinha (chocante) tão pequenininho
Que na palma da mão se escondia

Ana Maria toda envergonhada
Não quis sair da cabine assim
Ficou com medo que a rapaziada
Olhasse tudo tim tim por tim tim

Ai, ai, ai, a garota tá pra mim!

Era um biquíni de bolinha amarelinha (chocante)
Tão pequenininho, mal cabia na Ana Maria
Biquíni de bolinha amarelinha (chocante) tão pequenininho
Que na palma da mão se escondia

Ana Maria olhou-se no espelho
E viu-se quase despida afinal
Ficou com o rosto todinho vermelho
E escondeu o maiô no dedal

Olha a Ana Maria aí, gente!
Yêee shenshashional!
Uma onda, é uma onda, é uma onda que é… splishplash.

Era um biquíni de bolinha amarelinha (chocante)
Tão pequenininho, mal cabia na Ana Maria
Itsy Bitsy Teenie Weenie Yellow (chocante) Polkdot Bikini
Que na palma da mão se escondia

13 – Volta Ao Mundo

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita / Patrícia Travassos / Chacal )

Estive aqui pensando uma maneira de acabar
De acabar com essa paz
Com essa paz insuportável
A que temos vivido
Aí eu fico mudo
Eu sei, eu não me iludo
Mas um dia ainda me mudo
Prum país oriental

É um povo amarelinho, só come com dois pauzinhos
Tem os “óios” puxadinhos mas são valentes pra cachorro
Taí o Kung-fu e o mestre Fumanchu
Arroz “colorido”, camarões empanados
E salve o broto do bambu

Perguntei ao Kung-fu
Quem vence o Fla X Flu
Pó de arroz ou urubu
E depois disse invocado
Estou cansado de cinema
Vou morar em Ipanema
Pois tive uns contatos
Dos tais imediatos
Com uma nega de Bangu

Fiquei invocado com aquele gafanhoto
Careca meio escroto
E me mandei daquelas bandas
Das bandas do Oriente
Azeite, é meu parente
Larguei o pingue-pongue
E eu vesti o meu sarongue
Um mês com King Kong na África

Por terra, por mar, pelo ar
Eu e meu amigo Julio
Eu disse Julio tal do Verne
Dando a volta ao mundo
78 dias
79 dias, no 80 eu quero tá…
Quero tá no Rio, voei!

Voei pro Havaí
Conheci uma havaiana
Que se chamava Ana
E digo a gata era uma onda
Parecia a Jane Fonda
Tinha algo da Giocconda
Sorria enigmática
Sabia matemática
Noves fora nada
Nada absurdo

Por terra, por mar, pelo ar
Eu e meu amigo Julio
Eu disse Julio tal do Verne
Dando a volta ao mundo
78 dias
79 dias, no 80 eu quero tá…
Quero tá no Rio, cheguei!

14 – Eu Só Ando a Mil

Letra / Cifra

15 – Cruel, Cruel Esquizofrenético Blues

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita )

Oh esse é um papo meu
Esse é um papo meu com uma mina da mesma idade que eu
Só que ela envelheceu

Um dia eu perguntei pra ela: ô, mina, você ainda tem um brilho (brilho…)
eu disse um brilho nos olhos
Você ainda tá ligada,
ligada nos dias de ontem,
quando tudo era divino, divino maravilhoso

Agora conte me sobre o seu esposo
Sentado numa sala atapetada,
com ar condicionado em frente a televisão
Que sua mãe coitada, ainda paga a prestação
Ela lhe deu quando você se formou
Ela lhe deu quando você se casou
Ela lhe deu quando você engravidou
(E agora é mãe…)

Mãe de um loiro lindo casal levadíssimo.
Mas você não sabe e também não entende
Que esse vazio idiota que te consome
E some com a tua paz

Que se foi como aquela empregada radical
que você mandou embora numa cena feia
depois da ceia na noite de Natal
Só porque ela pegou no peru do seu marido, (peru de Natal…)
Você ficou com o coração ferido,
sacou o lance num relance
quando passou pela cozinha

Não, não vá dizer que a culpa é minha
Meu Deus como você foi
Ah meu Deus como você foi
Eu disse meu Deus como você foi

(Cruel cruel), esquizofrenético blues,
(Cruel cruel), esquizofrenético blues,

(Não, não vá…). Não, não vá botar a culpa no destino,
por ter casado com um cretino industrial
Apenas para dar uma satisfação, a sociedade
Pois na verdade eras parada, num surfista boçal
Não agora não dá mais, ah puta que pariu

Meu Deus como você foi,
Eu disse meu Deus como você foi,

Cruel cruel, cruel cruel, cruel cruel, cruel cruel, cruel cruel
(Tirururu…., Tirururu…., )

16 – Malandro Agulha

Letra / Cifra 

( )

Ele fere ele fura
Tem jogo de cintura
O seu veneno é de cobra
E seu normal é loucura
Sua mascara caiu
Disfarça e segura
E que ele ve ninguem viu
Enrola e embrulha

Do jeito do jogo é malandro agulha
Tem bala e tem fogo na mão
De repente de novo com carta na manga
Bate a ferro no outro vagão.

Malandro agulha como se sente como se sente
Malandro agulha nunca ta contente nunca ta contente

E não interessa se é do bem ou do mal
E se for preciso é romantico, imoral
O que interessa é se dar bem no final
E se for preciso mata a cobra e mostra o pau

Malandro agulha como se sente como se sente
Malandro agulha nunca ta contente nunca ta contente

Ele pede ele jura
Ataca na fissura
Mete o pé na porta
Todo cheio de finura
Sua firma afundou
Como é mal o seu negocio
Alguém bem que te avisou
Tome cuidado com esse sócio

Do jeito do jogo
É malandro de rua pisa e te joga no chão
De repente de novo
Vende o curinga
E ginga pela contra-mão

Malandro agulha como se sente como se sente
Malandro agulha nunca ta contente nunca ta contente

Segura o malandro!!!!!!!!!!!!!!!
É a lei do buriçi
Cada um cuida de sí
Nunca ta nunca ta nunca ta contente!!!!!!!!!!!!!!!!!!

17 – Apocalipse Não

Letra / Cifra 

( Evandro Mesquita / Ricardo Barreto )

Participação Especial: Banduendes Por Acaso Estrelados

Fli fli
Fli-flai fli-flai
Fli-flai-flow fli-flai-flow
Flista flista
Cumbarala cumbarala cumbarala flista
Cumbarala cumbarala cumbarala flista
No no no no not flista
No no no no not flista
Ini mini dessa mini uá uá
Mini dessa mini zala mini uá uá
Ini mini dessa mini uá uá
Mini dessa mini zala mini uá uá
Bi bi bliô quem dô quemboca chembo. Shsh!
Bi bi bliô quem dô quemboca chembo. Shsh!

Quando olho pro sol, meu Deus!
Fico pensando em mim e você!
Quando olho pro sol, meu Deus!
Fico pensando em mim e você!
Não quero ficar vendo o mundo acabar pela TV
Meu Deus isso é sério
Meu Deus isso é sério demais!
Meu Deus isso é sério
Meu Deus isso é sério demais!
Será que a gente não consegue mais, viver em paz!

Brincando de guerra
Apocalipse não
Eles estão destruindo a terra
Apocalipse não
Brincando de guerra
Apocalipse não
Eles estão destruindo a terra
Apocalipse não
Do jeito que as coisas vão
O progresso a civilização

Duas ou três coisas que eu gostaria de falar com vocês
Então fala, fala alto!
Hoje em 83 cinco paises já tem a bomba atômica
E oito estão na fila
Oito?
O mundo sangra
O novo projeto militar americano custa
Um trilhão e quinhentos milhões de dólares
Você disse um trilhão e meio de dólares?
É, foi isso que eu disse
No negro ou no oficial?
Sei lá? Só sei que são quinhentos
Milhões e cacetadas de megatons!
Valdir passa mal
Jorge cura, João se arranha
Mario reclama, sou eu
Rui

Quando olho pro sol, meu Deus!
Fico pensando em mim e você!
Quando olho pro sol, meu Deus!
Fico pensando em mim e você!
Não quero ficar vendo o mundo acabar pela TV

Brincando de guerra
Apocalipse não
Brincando de guerra
Apocalipse não
Brincando de guerra
Apocalipse nããooooo…